Lombalgia

Share

A Lombalgia, termo que se refere à dor na região da coluna lombar, é uma das causas mais freqüentes de incapacidade, ela pode ser considerada aguda ou crônica, dependendo do seu tempo de duração. A primeira pode surgir de maneira repentina e ter duração menor de seis semanas, já à dor crônica, persiste por mais de doze semanas, podendo seguir por anos. Portanto a lombalgia é um sintoma, que se caracteriza por dor e não a doença em si.

Causa

Frequentemente a dor pode ser resultante da ineficiência das estruturas e tecidos de partes moles. Dentre esse quadro doloroso, podem-se citar causas mecânicas, inflamatórias, reumáticas, infecciosas, neoplásicas, etc. A dor lombar pode ser proveniente de vários locais anatômicos, como discos intervertebrais, músculos espasmados, comprometimento neural (nervos), alterações ou lesões ósseas.

O numero de causas da lombalgia torne-se amplo, levando em consideração o sedentarismo, a má postura, sobrepeso, doenças reumáticas como artrose, fatores genéticos, condições de trabalho, etc.

 

Diagnóstico

Devido a todos os fatores de causas, o diagnóstico não se dá apenas pelo relato de dor, é preciso realizar uma boa avaliação para se colher o histórico de vida do paciente, com um bom exame físico, testes funcionais, escalas de dor, e exames por imagem, os mais solicitados são: radiografia, tomografia computadorizada, e ressonância magnética. Esses exames comprovam o acometimento da lombar e direciona melhor o tratamento.

Tratamento e Fisioterapia

O tratamento pode ser classificado em três fases:

Primária: que se refere nas primeiras quatro a seis semanas do inicio do quadro doloroso. O retorno das funções e o controle da dor são os objetivos da fisioterapia nesse período.

Secundária: entre seis e quatro meses após o inicio da dor. Caso as estruturas não respondam ao tratamento, uma fisioterapia mais intensa é recomendada.

Terciária: pode haver outros fatores que contribuam para a ineficiência do tratamento convencional, como por exemplo, uma doença ainda oculta, tornando a cirurgia uma considerável significativa. Outro tratamento muito empregado é o medicamentoso (anti-inflamatórios, relaxante musculares, corticóides, entre outros) que contribuem para minimizar os sintomas de dor.

  Fisioterapia

A fisioterapia possui várias ferramentas eficazes para o tratamento da lombalgia, porém é necessário para se obter um resultado ainda mais satisfatório o trabalho conjunto entre fisioterapeuta, médico e paciente.

Como recursos a fisioterapia se utiliza

  • Técnicas manuais (pompage, inibição de ponto gatilho, trações, relaxamento muscular, mobilizações articulares etc);
  • Eletrofototermoterapia (ultra-som, infravermelho, ondas curtas, TENS, FES);
  • Cinesioterapia (exercícios passivos, ativos, resistidos e alongamentos);
  • RPG;
  • Osteopatia;
  • Pilates;
  • Hidroterapia;
  • Orientações em geral.

 

Portanto, a fisioterapia engloba muitas áreas e recursos pertinentes e eficientes para o tratamento da dor lombar.

 

 

 

Fonte : www.scielo.br / www.portaleducacao.com.br / www.patologiadacoluna.com.br / Livro: Clinical Symposia, avaliação e tratamento da dor lombar.

Share


Sem Comentários, Deixe um comentário