Será Que Você Tem Pré Hipertensão ?

Share

Pré-hipertensos é a denominação dada pelo Comitê Internacional Americano para Prevenção e Tratamento da Hipertensão para a nova classe de pacientes com problemas de pressão arterial. Os limites para o controle da hipertensão arterial mudaram, se antes uma pressão de 120/80mmHg era considerada saudável, agora não é mais sinal de saúde. Segundo o Comitê, pessoas pré-hipertensas são àquelas que têm pressão de 120 a 139 (a máxima) e de 80 a 89 (a mínima). O termo classifica as pessoas com chance de mau funcionamento dos rins, aterosclerose, infarto e acidente vascular cerebral (derrame), e com hábitos de vida que podem levar a problemas no coração. Os especialistas ressaltam que ter pressão 120/ 80mmHG não é sinônimo de um futuro hipertenso. Na verdade é preciso estar atento para o fato de que quanto maior a pressão arterial, mesmo que abaixo do limite de 14 por 9, a partir do qual uma pessoa é considerada hipertensa, menor é sua expectativa de vida, que também diminui progressivamente. A American Heart Association sugere uma mudança de estilo de vida nesses casos, e não o uso de medicamentos. Isso inclui perda de peso, dieta com pouco sal, atividade física regular e parar de fumar. Mas novas pesquisas mostram que tomar remédio para controlar a pressão arterial, juntamente com a mudança do estilo de vida, pode ajudar a diminuir o risco de derrame. Se nem a hipertensão em si costuma ter sintomas, imagine como é difícil flagrar a pré-hipertensão. É por isso que, em consultas de rotina, medir a pressão é indispensável, principalmente para quem é filho de hipertensos. “Se um dos pais tem a doença, a probabilidade de a pressão ser alta é de 50%”, justifica Rui Póvoa. Uma vez diagnosticada a chateação, o jeito é mudar tudo na rotina que favorece o quadro nefasto. Quem fuma deve abolir o cigarro. “Além de agredir os vasos, o tabagismo estimula a ação do sistema simpático, elevando a pressão”, lembra o nefrologista Pedro Chocair, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo. Outro costume nada benéfico é abusar do álcool. “Há evidências de que, em doses modestas, ele até dilataria as artérias. Mas, em excesso, promove sua contração”, revela Marcus Malachias.

Mude o estilo de vida e evite que a pressão suba

A hipertensão arterial é gatilho para uma série de males, e não só aqueles que envolvem o sistema circulatório. “Normalmente, pessoas com pressão alta estão mais sujeitas a sofrer falhas no coração, nos rins e até no cérebro” explica o cardiologista Enéas Rocco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Manutenção do peso ideal

O sobrepeso aumenta o esforço do coração para conseguir bombear o sangue. Na prática, o músculo é exigido demais. “Como o bíceps de quem levanta peso, o coração de uma pessoa obesa acaba hipertrofiado”, explica o cardiologista. As lesões causadas pelo esforço excessivo podem se tornar irrecuperáveis.

Prática de atividade física

Atividades físicas regulares, principalmente as aeróbicas, contribuem para a melhora de todo o sistema circulatório e pulmonar. Só tome cuidado com os exageros: antes de começar qualquer treino, procure um especialista e faça uma avaliação geral.

 

 

 

 

Redução de sal

O excesso de sal na dieta leva à retenção de líquidos, acarretando a hipertensão. Por isso, maneire na hora de temperar a comida e diminua o consumo de enlatados e alimentos em conserva.

Evitar bebidas alcoólicas

O álcool em grande quantidade é inimigo da pressão sob controle. Corte as bebidas da sua dieta ou consuma com muita moderação.

Medicamentos

Se o médico recomendou, não deixe de tomar. Mas nada de sair por aí imitando a receita alheia. Vale lembrar que alguns medicamentos podem elevar a pressão, como os antiiflamatórios e anticoncepcionais, ressalta o cardiologista.

Cigarro

O tabaco, em conjunto às outras substâncias tóxicas do cigarro, eleva a pressão imediatamente além de comprometer toda sua saúde.

 

Estas alterações irão não só reduzir a pressão arterial como irão também, quase de certeza, reduzir o seu colesterol total. E o mais importante é que estas alterações irão reduzir o seu risco de acidente vascular cerebral, de ataque cardíaco, de insuficiência cardíaca, de diabetes e de insuficiência renal.

O que poderei esperar ao olhar para o futuro?

Podemos atrasar o aumento rápido do número de pessoas que vivem com uma doença crónica. Mas necessitamos de levar a sério as mensagens de seguir uma alimentação saudável e de realizar exercício físico. Isto é especialmente verdade para os nossos filhos.

Atualizado em 04 de Janeiro de 2012.

 

Share


Sem Comentários, Deixe um comentário