Gestantes

Share

A gravidez representa um episódio fisiológico na vida da mulher, onde o organismo se adapta lentamente às modificações que ocorrem durante sua evolução. Essas alterações podem ocorrer em todos os órgãos e sistemas do corpo da gestante, como pele (hiperemia e aumento da sudorese), trato urinário (aumento dos rins, alterações na reabsorção de glicose e hipotonicidade do sistema), sistema endócrino (secreção de progesterona, estrogênio e relaxina, entre outros hormônios, aumentada) e gastrointestinal (diminuição da sua função),entre outros.

Modificações orgânicas experimentadas pela gestante acarretam alguns desconfortos relacionados ao sistema músculo-esquelético, que podem ser agravadas de acordo com as atividades diárias que realizam e com suas atitudes posturais.

Em geral, as dores lombares na gestação são causadas porque o hormônio relaxina é liberado, oferecendo uma maior mobilidade às articulações, tornado-as frouxas, preparando o corpo da mulher para o parto normal facilitando a passagem para o bebê. Associado a ação hormonal, com o avanço da gestação o abdômen cresce, mudando o eixo postural. Os ombros tendem a inclinar pra trás compensando a projeção do abdômen para frente. Essa acomodação do eixo do equilíbrio, leva ao aumento da lordose lombar.

Não é só a dor que deve ser levada em consideração, mas esse aumento da lordose lombar pode levar a um desgaste das articulações intervertebrais, podendo se agravar no pós-parto.

Contudo, a fisioterapia pode ajudar muito nas transformações corporais na gestação, no trabalho de parto e na recuperação pós-parto, trabalhando o corpo da mulher em busca do equilíbrio físico. Desde que se tenha a autorização do médico obstetra , a atividade física na gestação pode relaxar e aumentar a disposição física para o dia-a-dia e minimizar os desconfortos físicos da gestação. Deve-se respeitar o fluxo sanguíneo para o bebê e controlar a freqüência cardíaca e temperatura corporal da gestante.

A fisioterapia pode contar com os seguintes objetivos :

    • melhorar o condicionamento físico através de alongamentos e fortalecimentos específicos principalmente da musculatura do assoalho pélvico (principalmente músculos perineais), músculos paravertebrais, abdômen e braços entre outros, preparando a mulher para as mudanças corporais durante a gestação, para o parto e pós-parto;
    • melhorar a consciência respiratória e consciência corporal; minimizar e prevenir as dores dorsais e lombares, equilibrando a musculatura;
  • orientação postural, de como caminhar, dormir, sentar e uso de calçados para prevenir lesões articulares,
  • técnicas de massagens relaxantes para auxiliar no relaxamento;
  • técnicas de massagem, como a drenagem linfática para ajudar a minimizar e prevenir edemas (inchaços) e transtornos circulatórios;

Algumas dicas são muito importantes e desde já podem ser incluídas no dia-a-dia da gestante, tais como:

  • Não permanecer numa mesma posição por períodos prolongados, alternar as posições a cada meia hora, principalmente no trabalho. Quando sentada, permanecer em uma posição ereta e manter os pés levemente elevados com a ajuda de algum suporte não muito alto.
  • Dormir deitada de lado para o lado esquerdo, com o apoio de um travesseiro na cabeça e outro travesseiro entre as pernas. Evitar colchões muito moles;
  • Evitar pegar objetos pesados e ao abaixar manter a coluna ereta e dobre os joelhos para alcançar o objeto;
  • Controlar a alimentação visando não aumentar muito o peso, e evitar saltos.

BIBLIOGRAFIA

CARVALHO, Y. B. R.; CAROMANO, F. A. Alterações Morfológicas Relacionadas com a Lombalgia Gestacional. Arq. Ciênc. Saúde Unipar, 5(3): set/dez, 2001. CONTI, M. H. S.; CALDERON, I. M. P.; RUDGE, M. V. C. Desconfortos Músculo Esqueléticos da Gestação: uma visão obstétrica e fisioterápica. Revista Femina. v 31, Bauru,2003. Atualizado em 05 de dezembro de 2011.

Share


Sem Comentários, Deixe um comentário

Comentários fechados nesta matéria.