Bronquite Aguda

Share

O que é? É uma inflamação dos brônquios (canais pelos quais o ar chega até os alvéolos), geralmente associada com uma infecção respiratória generalizada. Quando os brônquios estão com alguma infecção ficam edemaciados (inchados) e produzem muco (catarro) espesso e dificultam a entrada e saída de ar nos pulmões. Isto pode tornar a respiração difícil. A bronquite aguda é uma doença respiratória aguda, com tosse intensa e prolongada, que persiste por mais tempo após o desaparecimento dos outros sintomas respiratórios. A doença pode tornar a árvore brônquica mais sensível ao ar frio e a poluentes como a fumaça do cigarro, fazendo com que o indivíduo tenha tosse intensa quando se defronta com tais situações. Como se adquire? Esta é uma doença que ocorre mais comumente durante os meses de inverno. Ela é quase sempre causada por vírus que atacam a mucosa (camada interna) dos brônquios, causando a infecção. Na maioria das vezes, os mesmos vírus que causam resfriados, causam a bronquite aguda. Dentre os vírus respiratórios que podem estar envolvidos, podemos citar os: • adenovírus • vírus influenza • coronavírus • rinovírus Dentre as bactérias que podem causar uma bronquite aguda estão a: • Chlamydia pneumoniae • Bordetella pertussis • Mycoplasma pneumoniae Por vezes, bactérias como o Hemophilus influenzae e o Pneumococo podem também invadir, secundariamente, a árvore brônquica numa bronquite aguda. Fungos raramente são os causadores de tal doença. As viroses que causam bronquite aguda espalham-se pelo ar. Se o indivíduo sadio respirar o ar contaminado por vírus deixado pela tosse de um doente, poderá adquirir a doença. Isso também poderá acontecer se tocarmos com a mão numa superfície contaminada por vírus e, após, a levarmos até o nariz ou a boca. A superfície contaminada pode ser a mão de um indivíduo doente ou um objeto tocado por ele. Outras causas de bronquite aguda incluem exposição a substâncias alergênicas ou irritantes (fumaça, ácidos, etc). A bronquite aguda é uma doença respiratória aguda, com tosse intensa e prolongada, que persiste por mais tempo após o desaparecimento dos outros sintomas respiratórios. A doença pode tornar a árvore brônquica mais sensível ao ar frio e a poluentes como a fumaça do cigarro, fazendo com que o indivíduo tenha tosse intensa quando se defronta com tais situações. O que se sente?

  • Tosse;
  • Expectoração- no início a tosse costuma ser não-produtica (seca), mas depois, torna-se produtiva com escarro denso como uma goma, que pode pode ficar purulento – amarelado ou esverdeado.
  • Falta de ar: sintoma comum devido a obstrução do trato respiratório, manifestando-se na forma de desconforto para respirar ou sensação de respiração incompleta
  • Roncos (ruídos dentro do peito devido a presença de muco) e/ou sibilos (ruído característico da asma brônquica, semelhante a um miado de gato);
  • dor torácica ou desconforto junto ao osso do peito ao tossir ou respirar.
  • Também poderá ou não apresentar febre durante

Diagnóstico? O diagnóstico da bronquite inicia-se pela história clínica colhida pelo médico que irá identificar quanto trata-se de sintomatologia aguda ou crônica. Exames diagnósticos complementares incluem:

  • Radiografia de tórax, para excluir a possibilidade de ser pneumonia;
  • Exames de sangue;
  • Cultura de escarro, para a identificação do germe envolvido;
  • Espirometria (teste onde o indivíduo sopra em um tubo para avaliar a capacidade pulmonar por meio de gráficos).

Como se trata? A maioria dos casos de bronquite aguda resolve-se por si própria no decorrer de poucos dias ou numa semana. Sendo uma doença causada geralmente por vírus, antibióticos (medicamentos que combatem bactérias) normalmente não ajudam. Eles também não aliviam a tosse, nem encurtam o tempo da doença – salvo, é claro, nos casos onde há uma bactéria envolvida. Medicamentos devem ser utilizados com orientação médica. Ainda em relação ao tratamento, o uso de broncodilatadores (os mesmos usados em casos de asma) através de nebulizadores pode ser útil no alívio do desconforto respiratório que eventualmente surja no curso da enfermidade. Sedativos da tosse poderão ser utilizados se o médico que assiste o paciente julgar conveniente. A pessoa nunca deve se automedicar, pois correrá o risco de agravar sua situação clínica. A fisioterapia na bronquite aguda: A fisioterapia respiratória contribui para eliminação da secreção e melhora do desconforto respiratório através de manobras de higiene brônquica,re-expansão pulmonar e exercícios respiratórios. Como se previne? A cessação do fumo é importante, pois ele torna a mucosa dos brônquios mais suscetível à ação danosa dos vírus. Lavar as mãos freqüentemente também ajuda na prevenção, já que a contaminação pode ocorrer através do contato entre as pessoas. Tapar a boca e o nariz ao tossir ou espirrar também são medidas simples para diminuir o contágio por vírus entre as pessoas. Fonte: Site ABC da Saúde ( 2009) Atualizado em 23 de novembro de 2011

Share


Sem Comentários, Deixe um comentário

Comentários fechados nesta matéria.